Wednesday, March 04, 2009

sem nome


Nessa noite estava pensando em um assunto para postar no meu blog que está meio parado por causa das minhas leituras e por causa que ultimamente a inspiração não “gritava” em minha mente. Li um texto do meu amigo virtual o Professor JC e vi ele contar coisas simples, nada de pensamentos filosóficos ou pensamentos políticos religiosos, coisas que acontecem simples e tão bonitas que podemos refletir sobre a vida e suas andanças. O que é tão simples d que amar e ser amado? De viver a vida simplesmente sem querer muito, mas também, sem querer tão pouquinho? Talvez é essa a questão que devo abordar no meu livro que estou escrevendo e é um projeto que devo levar adiante.

Talvez esse texto deva chamar de “Sem nome” porque o assunto vai se desenrolando conforme o andar dele, tanto da leitura quanto no escrever, é um daqueles textos que vai indo sozinho até chegar no final. Talvez devo não pôr nenhum nome porque nomes são estereótipos de algo e esse texto não é algo, nem alguém, são pensamentos traduzidos em meras palavras parafraseando uma musica do Jota Quest. Bem, ao longo de minha vida eu tive varias duvidas, umas foram respondidas e outras não foram, mas todas foram legitimas, nada por que me interessei foi em vão. Umas delas é essa: “o que é o amor?”, que naquele momento não sabia o que era, mas agora talvez eu saiba finalmente o que seria esse amor. Platão no “O Banquete” pôs uma explicação meia assim, como algo contemplativo, talvez um amor entre o mesmo sexo que era normal na época; mas talvez Aristóteles tenha mostrado que o amor vem da amizade e assim ele nasce.

Muitas pessoas não sabem amar, não sabem que se você sofre é porque é paixão e não amor, porque amor é suave como um bom vinho. Não sou bom em vinho, não sou bom em perceber quem está “na minha”, mas conquistei minha namorada e estou feliz com ela. A Marley tem me dado um carinho no qual nunca tive, nunca tive tanta atenção como ela me dá, nunca tive o amor que trocamos um pelo outro. Poderíamos até dizer que as nossas cadeiras de rodas também se namoram e trocam carinho, sentem que aquilo não é de “mentira”, mas um amor de verdade. Medos sempre vamos ter por causa das incertezas da vida, mas quando o amor é verdadeiro ele encontra um caminho e os anjos dizem amem. E talvez é esse sentimento bonito e saudável que as vezes me faz refletir, não por causa dessas incertezas ou medos, mas que essas coisas gostosas as pessoas não tem coragem de viver, por causa do prazer imediato do consumo exacerbado de tudo ser agora; a paciência é a virtude mais sabia que o ser humano pode ter em sua vida, porque com ela aprendemos a esperar o momento certo de agir cautelosamente.

Numa simples amizade nasce uma coisa tão gostosa e que nos enche de esperança, mesmo que a família dela não aceite ou talvez sejam cautelosos no namoro, mas tudo na vida que é fácil dificilmente é valorizado. No momento que tudo é conquistado, damos um valor imenso para aquilo; talvez uns dos prazeres mais reais que o ser humano tem em sua vida é a “conquista” de algo que lhe dá alegria de viver, ago que pode ser simples. Cuidar de meus cactos é algo que gosto muito, mesmo que não precise de tantas coisas, eles são seres vivos que merecem ser cuidados; o mesmo é a Marley, ela é minha namorada e merece meu amor que lhe dou muito e sei, tive varias provas, que ela me dá com toda certeza. Ainda mais nesse momento tão difícil que ela esta passando, devo dar pelo menos carinho e afeto e mostrar que ela não está sozinha.

Sempre fui uma pessoa que não quis muito (bom, quando era mais novo, eu era um pouco egoísta, mas agora sou mais aberto), mas também não quis tão pouco. Devemos – assim penso eu – que na vida tudo é uma questão de equilíbrio; não devemos querer demais e também não querer pouco e sim o bastante para ter uma vida relativamente confortável. Podemos as vezes sonhar que se ganhássemos na loteria ou que conquistássemos uma fortuna, mas devemos sempre nunca desejar para aquele “desejo” não virar ansiedade; isso as correntes tanto do budismo quanto do hinduísmo sabem, tudo é relativamente incerto e ai que entra a física quântica (mesmo que os cientistas chamem isso de misticismo), porque há uma probabilidade daquilo ocorrer ou não, ou se cai ou não. A melhor coisa que podemos fazer é realizar e cuidar bem dos desejos sem desejar vivendo simplesmente sem extravagâncias, se não tenho o suficiente para viajar junto mais um pouco e por ai vai.

Quero um futuro bom para mim, casar com quem eu amo, ter minha casa e viver feliz; mesmo com algumas dificuldades, mas como dizem, nem tudo são flores e tudo é um real e maravilhoso aprendizado. Talvez isso que me motiva cada vez mais viver tudo que tenho chance de viver, sou feliz mesmo com as dificuldades, sou feliz mesmo com minha deficiência e agora nesse momento, sou feliz por está amando e feliz. Quer coisa mais gostosa?

1 comment:

Feitosa Gonçalves said...

Muitas vezes ouvi Fotografia 3x4, de Belchior e me emocionei com o verso "sses casos de familia e de dinheiro eu nunca entendi bem"...

A razão é que a família da minha namorada era excessivamente cautelosa em relação a minha pessoa...

Pelo pouco que lhe conheço (apenas o que li no blog), já estou convencido que tão logo a família dela perceba a pessoa que você é e o quão real é o que vocês sentem, lhe receberão de braços abertos!